Share now!

A lesão desportiva define-se como qualquer situação que ocorra durante um treino/jogo e que impede o jogador de participar integralmente em todas as actividades de treino e/ou jogo por mais de um dia após a data da lesão, segundo a definição utilizada pela World Rugby.


 

Há varias possibilidades de classificação do tipo de lesão desportiva, sendo a mais consensual a divisão em dois tipos:

– Lesão Desportiva Aguda: caracterizada pela evolução imediata, resultante essencialmente por um movimento brusco (ex: lesão muscular, entorse, etc) ou traumatismo directo.

– Lesão Desportiva Crónica: caracterizada pela evolução progressiva e acumulativa da estrutura (ex: lesão de sobrecarga, stress.)

A prática de rugby traz associado o risco de lesão, sendo por isso importante a implementação de estratégias/mecanismos de prevenção de lesões, que diminuam o risco de aparecimento da mesma, tais como:

– Aquecimento/arrefecimento

O aquecimento, antes de iniciar exercícios fisico, com passo calmo durante 3 a 10 minutos

aquece os músculos o suficiente para os tornar mais flexíveis e resistentes às lesões.

O arrefecimento significa uma redução gradual da velocidade antes de interromper o exercício, e ajuda a eliminar os resíduos como o ácido láctico dos músculos.

– Exercícios de alongamento/Auto-libertação Miofascial

O alongamento consiste numa acção de tensão aplicada aos tecidos moles que provoca a sua

extensabilidade. Existem dois tipos de alongamentos:

. Alongamentos estáticos: alongamentos lentos e mantidos (20 a 30 segundos) na maior amplitude disponivel

. Alongamentos dinâmicos: movimentos balisticos de curta duração e repetitivos, que se realizam como preparação para a actividade fisica.

A auto-libertação miofascial (realizada maioritariamente com rolos de espuma e sticks) tem como objectivo melhorar a mobilidade dos tecidos moles (musculo, fascia e tendão) promovendo o seu alongamento, e devendo ser realizado na fase de aquecimento e arrefecimento.

– Exercicios de propriocepção

A propriocepção é o termo utilizado para nomear a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, a sua posição e orientação. O programa de exercícios proprioceptivos, para compor um trabalho proprioceptivo preventivo, deve ter exercícios dinâmicos, multidirecionais e específicos para a prática de rugby. Estes exercícios trabalham principalmente com componentes da estabilidade dinâmica das articulações (unidades músculo-tendínosas) que mantém os membros e as articulações estáveis durante os movimentos.

– Sono/Descanso

O sono é uma das principais fases de recuperação muscular, sendo por isso uma parte vital do treino de um atleta. É composto por vários ciclos tendo a duração média de 90mn, devendo os atletas dormir entre 4 a 6 ciclos por noite.

– Alimentação/Hidratação

A alimentação antes e após o treino ou competição, fornece a energia essencial para um desempenho muscular eficaz, e promove a recuperação e regeneração muscular após a realização da actividade.

O estado de hidratação é um factor determinante para a condição fisica do atleta, devendo ser utilizadas estratégias antes, durante e após a actividade fisica de forma a manter os liquidos corporais e diminuir assim o risco de lesão.

CÉSAR CORTE GONÇALVES (CASCAIS RUGBY)

Photograph: Luís F. Cabelo